Navegação: CBAt|Corrida|Corridas Especiais| Cross Country

CROSS COUNTRY

As provas de cross country são realizadas normalmente quando os atletas de fundo estão no período de treinamento de base, após o final de uma temporada e durante o inverno no hemisfério norte, razão dos Campeonatos Mundiais de Cross Country serem realizados anualmente no mês de março.

As provas de cross country caracterizam-se por corridas realizadas em percursos gramados e que podem contar obstáculos naturais a serem transpostos pelos atletas, sendo admitido até um pequeno curso de água.

Em função dos campeonatos mundiais anuais, são realizados, anualmente também, os Campeonatos Sul-Americanos de Cross Country e a CBAt realiza a COPA BRASIL CAIXA DE CROSS COUNTRY, evento nacional máximo desse tipo de prova.

Para saber as datas, consulte a página de calendário do site da CBAt.

REGRA

 

A regra nº 250 da IAAF, determina a forma como devem ser realizadas as Corridas de Cross Country (como curiosidade, o último item dessa regra trata das corridas de montanha):

SEÇÃO IX – CROSS COUNTRY

REGRA 250
CROSS-COUNTRY (CORRIDA ATRAVÉS DO CAMPO)

Regras Gerais

1.  Embora sabendo que, devido a extremas variações das condições em que o cross country é praticado em todo o mundo e as dificuldades em legislação para padronização internacional deste esporte, deve ser aceito que a diferença entre provas muito bem sucedidas e mal sucedidas geralmente recaem nas características naturais e capacidades do projetista do percurso.
  As Regras seguintes, entretanto, têm a intenção de ser um guia e incentivo para auxiliar os países a desenvolverem corridas de cross-country. Ver também “Manual para Corridas de Longa Distância da IAAF” para informações detalhadas sobre organização.

        
            

Temporada

2. 

A temporada de cross-country deve estender-se, normalmente, pelos meses de inverno, depois de encerrada a temporada de Atletismo.

        

O Local

3.  (a) o percurso deve ser designado em uma área aberta ou bosque coberto tão longo quanto possível por grama, com obstáculos naturais, que possam ser usados por um projetista para construir um percurso desafiante e interessante.
  (b) a área deve ser larga o suficiente para acomodar não somente o percurso, mas todas as estruturas necessárias.

 

Traçado do Percurso

4. Para Campeonatos e provas internacionais e, onde possível, para outras competições:
  (a) um percurso em voltas deve ser designado, com a volta medindo entre 1,750m e 2,000m. Se necessário, uma volta pequena pode ser adicionada de maneira que ajuste as distâncias para todas as solicitadas das várias provas, em que no caso da volta menor deve ser corrida no estágio inicial da prova. É recomendado que cada volta longa deva ter uma subida total de no mínimo 10m.
  (b) obstáculos naturais existentes devem ser utilizados, se possível. Entretanto obstáculos muito altos devem ser evitados, tais como fossos profundos, subidas/descidas perigosas, vegetação densa e, em geral, qualquer obstáculo que constitua uma dificuldade além do verdadeiro objetivo da competição. É preferível que obstáculos artificiais não sejam utilizados, mas se for inevitável, eles devem ser feitos para simular obstáculos naturais encontrados dentro de campo aberto. Em corridas onde houver um grande número de atletas, passagens muito estreitas ou outras obstruções que negariam aos atletas uma corrida sem impedimento devem ser evitadas nos primeiros 1500m.
   (c) o cruzamento de ruas ou qualquer tipo de superfície macadamizada deve ser evitado ou pelo menos mantida em um mínimo. Quando for impossível evitar tais condições em uma ou duas áreas do percurso, as áreas devem ser cobertas por grama, terra ou mato.
  (d) Fora às áreas de saída e chegada, o percurso não deve conter qualquer outra reta longa. Um percurso ondulado “natural” com curvas planas e retas curtas é o mais adequado.

 

O Percurso

5.  (a) O percurso deve ser marcado claramente com fita em ambos os lados. É recomendado que ao longo de um lado do percurso um corredor de 1m de largura cercado da parte externa do percurso, deve ser instalado para uso dos oficiais da organização e imprensa somente (obrigatório para provas de Campeonatos). Áreas cruciais devem ser cercadas; em particular a área de saída (incluindo a área de aquecimento e a câmara de chamada) e área de chegada (incluindo qualquer zona mista). Somente pessoas autorizadas serão permitidas acessarem estas áreas.
  (b) Ao público geral deve ser autorizado somente atravessar o percurso em horário mais cedo da corrida em pontos de passagem bem organizados, enfileirados por acompanhantes.
  (c) É recomendado que, separado da área de saída e chegada, o percurso tenha uma largura de 5m, incluindo as áreas de obstáculos.
  (d) Se o Árbitro Geral acatar um Boletim de Ocorrência de um Árbitro ou Inspetor, ou por outra forma se convencer de que um atleta saiu do percurso marcado e desse modo encurtou a distância a ser coberta, ele será desqualificado.

 

 Distâncias        

6. As distâncias nos Campeonatos Mundiais de Cross Country da IAAF, devem ser aproximadamente:

 

Masculino Adulto prova longa 12km Feminino Adulto prova longa 8km
Masculino Adulto prova curta 4km Feminino Adulto prova curta 4km
Masculino Juvenil 8km Feminino Juvenil 6km

 

Recomenda-se que essas distâncias sejam usadas para outras competições internacionais e nacionais.

 

A Saída

7.  As corridas serão iniciadas pelo disparo da pistola. Os comandos e procedimentos para corridas acima de 400m serão utilizados (Regra 162.3). Em corridas internacionais, avisos de cinco minutos, três minutos e um minuto devem ser dados.
  Postos serão providenciados, e os membros de cada equipe serão alinhados um atrás do outro na largada da prova.


Postos de Bebidas/Esponjas e Estações de Abastecimento

 8.

(a) Água e outras bebidas adequadas devem estar disponíveis na saída e na chegada de todas as corridas. Para todas as provas, uma estação de abastecimento deve ser oferecida em todas as voltas, se as condições do tempo justificarem tal provisão.

 

ENTIDADES OFICIAIS

  As corridas de cross country são dirigidas pelas entidades oficiais do Atletismo, não existindo associações específicas para esse tipo de corridas.

Links | Mapa do Site | Publicidade

Copyright 2002-2009, CBAt - Todos os direitos Reservados
Rua Jorge Chammas, 310 – Vila Mariana - São Paulo - Brasil - CEP: 04.016-070
Telefone: + 55 11 5908-7488 - Fax: + 55 11 4508-4013 - E-mail: cbat@cbat.org.br