Meia do Rio

Quenianos vencem Meia Maratona do Rio de Janeiro

Atletas masculinos no podio (Yescom Divulgação)

Stanley Biwott e Esther Kakuri foram os vencedores da prova e deixaram os brasileiros Giovani dos Santos e Rejane Ester da Silva na quarta colocação. A prova recebeu o Selo Ouro e o Permit 12/2019 da CBAt

Bragança Paulista - Os quenianos Stanley Biwott, no masculino, e Esther Kakuri, no feminino, venceram a 23ª Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, disputada na manhã deste domingo (18/8), num dia ensolarado e temperatura em torno de 24 graus. Stanley disputou a prova pela primeira vez, enquanto Esther garantiu o tricampeonato em sua terceira participação consecutiva. Os brasileiros mais bem colocados foram Giovani dos Santos e Rejane Ester da Silva, da Equipe Elite Runners Usb, que chegaram em quarto lugar.

A Meia Maratona teve largadas a partir das 6:50, com saída no Jardim de Alah, no Leblon, e chegada no Aterro do Flamengo, no Rio. A prova de 21,097 km recebeu o Selo Ouro e o Permit 12/2019 da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

Estreante na prova do Rio, Stanley Biwott travou um duelo com o ugandense Fred Musobo e o queniano William Sitonik até os 15 quilômetros da prova. A partir daí, Stanley passou a imprimir um ritmo mais forte, abriu vantagem sobre seus adversários e cruzou a linha de chegada com o tempo de 1:01:49, o sexto melhor tempo das 23 edições realizadas e a 14ª vitória queniana

"A parte final da prova é bem desgastante por conta das inúmeras curvas do percurso, o que quebra um pouco o ritmo", disse Stanley, de 33 anos, vencedor das maratonas de Nova York e Paris. Stanley disputou a Maratona Olímpica em 2016, mas não completou a prova.

Campeão da Maratona do Rio 2019, no mês de junho, Giovani dos Santos comprovou porque é um dos melhores brasileiros nas provas de fundo. O mineiro terminou a Meia Maratona Internacional em quarto lugar com 1:04:42. Aos 38 anos, o atleta da cidade de Natércia não escondia sua emoção.

"Quase deu para buscar a terceira colocação, faltou talvez um pouco mais de velocidade. A prova, para mim, foi especialmente difícil por conta de um resfriado desde quarta-feira. Devido a essas circunstâncias, posso considerar o resultado muito bom", explicou Giovani, que elogiou o percurso da prova. "Com as alterações no local de largada, o percurso ficou mais rápido. Mas foi um dia de muito vento, o que desgasta bastante", acrescentou.

Pela terceira vez na Meia Maratona do Rio, a queniana Esther Kakuri, de 25 anos, melhorou seu tempo de 2018 em 1:50 e garantiu o tricampeonato com o tempo de 1:16:52. "É muito importante manter regularidade em uma prova. Estou feliz e já com planos de voltar ano que vem. Sempre venho preparada para dar o meu melhor", comentou a corredora, que terá como próximo desafio a Meia Maratona de Buenos Aires, no próximo domingo, prova na qual foi terceira colocada em 2018.

Já a carioca Rejane Ester da Silva, comemorou seus 35 anos, completados no último dia 11, fazendo uma prova de superação. "Treinei muito para essa disputa, mas neste sábado, meu calcanhar direito inchou. Acordei chorando, quase não vim, mas minha família me deu muita força para não desistir. Nem sabia se iria conseguir completar a prova. Só tenho a agradecer a Deus", afirmou. "É uma prova muito forte. Na última vez parei no meio, não aguentei, mas, apesar de toda a adversidade, agora eu consegui estar no pódio", completou.

Pódios de 2019

Masculino


1-Stanley Biwott (QUE), 1:01:49
2-Fred Musobo (UGA), 1:03:14
3-William Sitonik (QUE), 1:04:30
4-Giovani dos Santos (BRA), 1:04:42
5-Marco Joseph Marco (TAN), 1:04:52

Feminino

1-Esther Chesang Kakuri (QUE), 1:16:52
2-Viola Chemos (UGA), 1:17:25
3-Tseginesh Legesse (ETH), 1:17:32
4-Rejane Ester da Silva (BRA), 1:18:25
5-Kleidiane Barbosa Jardim (BRA), 1:18:43

A Caixa é a Patrocinadora Oficial do Atletismo Brasileiro.